Jorginho quer ser contraponto a Moisés

Senador Jorginho Mello (PL) está em franca pré-campanha, com vistas à governadoria do Estado. O primeiro passo com este objetivo já foi dado. Sabedor do desgaste do governo de Carlos Moisés da Silva (PSL), o parlamentar tem articulado a união de líderes políticos estaduais que se oponham a atual gestão, justamente para solidificar um grupo que faça contraponto explícito ao governador.
Na prática, Jorginho quer começar a separar gregos de troiano, colocando de um lado aqueles que não concordam com a atual governadoria estadual, e deixando do outro lado aqueles que concordam. Dentre estes últimos, por óbvio, estão aqueles que concordam somente por casuísmo momentâneo.
Assim que conseguir separar o joio o trigo, Jorginho irá acelerar outro projeto, que passa pela declaração de apoio de seus aliados, de forma uníssona, ao projeto de reeleição do presidente Jair Bolsonaro (S/P). Jorginho quer ser o candidato oficial de Bolsonaro ao governo de Santa Catarina, fazendo oposição ao governador Carlos Moisés da Silva, que, em tese, teria traído os princípios do bolsonarismo. Na prática, o senador está apostando numa nova onda bolsonarista, pelo menos em nosso Estado, que, desta feita, possa leva-lo ao comando do Estado.
O projeto de Jorginho Mello ganhou força depois do naufrágio político do deputado Júlio Garcia (PSD), articulador de primeira linha. Depois de duas prisões decretadas pela Justiça Federal, em decorrência de uma investigação feita pela Polícia Federal que o arrola em um caso de corrupção na esfera pública, Júlio perdeu muito de seu poder de ação. Principalmente no que diz respeito ao apoio a ser recebido pelo grande empresariado catarinense, durante a eleição estadual do ano que vem, Jorginho passou a ser a bola da vez.
Tudo ainda é muito embrionário, mas os encaminhamentos que vêm sendo dados levam a crer que o senador Jorginho Mello tem tudo para chegar ao segundo turno da eleição estadual do ano que vem, principalmente se o também senador Esperidião Amin (PP) não for candidato ao governo. Se Amim concorrer, aí a história poderá mudar.
Zé Milton intermedeia pautas para a agricultura
Deputado estadual José Milton Scheffer (PP) percorreu nossa região com o Secretário de Estado da Agricultura, Altair Silva, que era seu colega de bancada, ainda da nova empreitada. Altair assumiu recentemente a pasta da Agricultura catarinense, cargo este que havia sido oferecido a Zé Milton. O deputado sombriense, no entanto, preferiu ficar na Assembleia, ocupando agora a liderança do governo do parlamento estadual. Durante a incursão por nossa região, Altair conheceu nosso sistema agrícola e anotou solicitações para serem encaminhadas junto a sua Secretaria.
Eder Mattos diz que divulgará mais sua gestão
Prefeito de Meleiro, Eder Mattos (PL), diz que passará a divulgar mais as ações de sua gestão. Dentro do projeto está a contratação do jornalista Jorge Pimentel, que até o final do ano passado atuava como assessor de imprensa da Prefeitura de Balneário Arroio do Silva. Via de regra, as prefeituras com assessor de imprensa acabam aparecendo bem mais do que aquelas que não dispõem deste profissional. “Entre 2017 e 2020 nós focamos muito no trabalho, mas pouco na divulgação do que fizemos. Por conta disto quase perdemos a eleição. Se tudo que fizemos tivesse sido divulgado, teríamos ganho com folga”, comenta o prefeito.
Cerveja está valendo mais que vida dos idosos
Movimentação noturna nas praias da região, durante feriadão de Carnaval, não deixam dúvidas: boa parte da população dá mais valor a uma garrafa de cerveja do que a saúde de seus familiares mais idosos.
Com ruas e avenidas entupidas de gente, e estabelecimentos comerciais com gente saindo pelas janelas, em total desrespeito aos decretos de combate a Covid-19, não há muito o que se esperar na humanidade. Depois, negócio é chorar no caixão do ente “querido”, dizendo que a morte foi por causa natural, e que a imprensa manipula a população ao falar da pandemia.
Rocinha depende de obra no RS para ser viável
Nada menos do que 93% das obras de pavimentação da Serra da Rocinha, entre Timbé do Sul e a divisa com São José dos Ausentes (RS), já estão concluídas. Expectativa é que toda a serra esteja pavimentada até meados deste ano. Vale lembrar, no entanto, que há um trecho de pouco mais de oito quilômetros, que vai da divisa de Timbé até o centro de São José dos Ausentes, que ainda não possui pavimentação.
Este trecho deverá estar concluído apenas em meados de 2023. Por conta disto, é provável que até lá a trafegabilidade pela BR 285, entre a serra e a BR 101, na altura de Sanga da Toca II, não atinja os 4.500 veículos por dia, conforme almejado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui