Cersul aumenta número de funcionários capacitados em redes energizadas

Para atuar na rede energizada existem vários procedimentos a serem seguidos e também o uso de EPIs e EPCs
Publicidade

Turvo

A equipe ‘linha viva’ da Cersul, a Cooperativa de Distribuição de Energia, com sede em Turvo, concluiu mais um treinamento e ampliou o número de funcionários com qualificação técnica para realizar manutenções na rede de distribuição sem causar a interrupção do fornecimento de energia elétrica, para cerca de 18 mil associados.

O presidente da Cooperativa, Jonnei Zanette, reforça que a diretoria se preocupa em ir além das exigências contidas na legislação para que o associado seja bem atendido, e por isso, qualifica os técnicos e aprimora os trabalhos. Desta forma o treinamento ofertado ampliou de cinco profissionais para nove capacitados no setor. O responsável pela capacitação foi o professor Jucemar Cardoso da Silva, que inclusive possui um manual escrito para trabalhos em redes de energia elétrica energizadas (Linha Viva). Nei assegura que é um diferencial manter uma equipe destinada aos trabalhos de Linha Viva em atendimento ao seu associado, sendo que hoje, a Cersul atende a maior extensão de rede entre as cooperativas do estado de Santa Catarina. O presidente cita que investir no trabalho com a linha energizada, em consonância com as normativas, traz resultados diferenciados. “A evolução tecnológica traz contribuições”.

Além de atender as ocorrências de reparo, a equipe de Linha Viva efetua o trabalho de manutenção preventiva, identificando fragilidades na rede elétrica para antecipação de possíveis interrupções no fornecimento ao consumidor. “Este serviço propicia diversas vantagens, como evitar que o trabalhador precise atuar no domingo, como ocorria antigamente, e também evita que os associados fiquem horas sem fornecimento de energia, que causa transtornos nas residências, empresas e até confraternizações e festas de comunidades”, disse o gerente técnico, Rômulo Grechi.

Conforme o técnico em segurança do trabalho, Domingos Clauber Colonetti, atualmente são raros os casos em que precisa haver o desligamento da rede de energia. “Para atuar na rede energizada existem vários procedimentos a serem seguidos e também a necessidade do uso de Equipamentos de Proteção Individual e Coletivo (EPIs e EPCs) especiais. Nossos profissionais são qualificados e atuam com segurança em suas atividades sem desligar a rede”. Rômulo e Clauber lembram que as interrupções de energia ainda acarretam problemas para quem depende ainda mais dela: aqueles que usam equipamentos de sobrevida, como respiradores ou ventilador pulmonar, e as entidades que prestam serviços essenciais, como hospitais e órgãos de segurança pública (como polícia civil, militar e bombeiros).

A psicóloga, Camila Zanette Cirimbelli, aponta que foram investidas 160 horas de capacitação entre aulas teóricas e práticas a fim de oferecer condições técnicas para um trabalho mais seguro. A psicóloga, Elisangela Manenti, complementa que o investimento na qualificação dos eletricistas de rede energizada se faz muito importante visto que com essa equipe a cooperativa consegue atender com excelência o associado. “A Cooperativa investe na qualificação dos profissionais para que os mesmos sempre estejam muito preparados para realizar um serviço de qualidade e segurança a todos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui