Fisioterapeutas assumem funções de destaque no enfrentamento à Covid-19

Atuação do profissional tem ganhado destaque pela importância do trabalho junto aos pacientes na pandemia (Foto: Divulgação)
Publicidade

Diante do cenário encontrado nos hospitais em todo o mundo ao longo do último ano no qual a pandemia de Covid-19 atinge a todos com força surpreendente, a importância do trabalho dos profissionais da saúde tem ganhado cada vez mais evidência. Dentre tantas funções essenciais à manutenção e recuperação da saúde dos pacientes tem se destacado o papel do fisioterapeuta. O profissional apto a trabalhar nesta função contribui de forma ativa não só na recuperação da capacidade pulmonar e motora daqueles que enfrentam complicações causadas pelo vírus, mas pode, inclusive, evitar pioras cardiorrespiratórias nestes pacientes.

Se antes a relevância do atendimento em fisioterapia já era considerada importante entre os profissionais de saúde, seu papel passa a ter ainda mais destaque e reconhecimento a partir dos desafios enfrentados pela pandemia. Tal constatação é da coordenadora do curso de Fisioterapia da Unesc, Ariete Inês Minetto.

Desde o acompanhamento da capacidade pulmonar, atendimento de enfermaria, até em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nos casos mais graves e no pós-Covid, conforme Ariete, todo o processo ganha com a participação de um profissional fisioterapeuta qualificado. “Com a chegada da Covid-19 a fisioterapia respiratória alcançou o seu ápice de importância, e, especialmente no momento atual de uma doença que ataca o sistema respiratório, vem ganhando mais destaque e reconhecimento. Até então, entre a comunidade e até entre colegas da área da saúde, a fisioterapia motora ainda era tida como principal atuação do profissional, o que mudou a partir da necessidade iminente dos cuidados fisioterapêuticos voltados à respiração nestes tempos de pandemia”, salienta.

Publicidade

O reconhecimento do papel do fisioterapeuta, conforme a coordenadora, tem sido evidente na sociedade, o que muito orgulha o curso e a Universidade pela certeza de estarem contribuindo com a saúde das pessoas, na prática, por meio da formação de excelência dos profissionais que hoje estão na linha de frente. “Atualmente, a equipe do Hospital São José de Criciúma, referência na região, conta com aproximadamente 41 profissionais de Fisioterapia, sendo em torno de 30 egressos da Unesc. Para nós isso representa uma grande responsabilidade, mas mais do que isso, um orgulho por saber que eles estão lá salvando vidas e exercendo a profissão que escolheram com muita dedicação”, completa.

Os conceitos e práticas da fisioterapia cardiorrespiratória são enfatizados na formação dos acadêmicos formados pela Unesc, que, para estarem preparados, cumprem longo período de estágios obrigatórios nos hospitais da região. “O curso de Fisioterapia tem 23 anos de experiência e possui um laboratório na área, localizado nas Clínicas Integradas da Universidade, onde os acadêmicos estudam sobre doenças respiratórias como bronquite e asma e demais problemas no sistema respiratório e aplicam seus conhecimentos adquiridos durante a formação. Este é um grande diferencial para que estejam seguros e preparados para momentos como os que vivemos atualmente”, comenta orgulhosa.

Atuação em diferentes situações

A evidência da profissão, conforme Ariete, tem sido sentida em um momento que infelizmente é de alerta na saúde pública. A atuação do fisioterapeuta e sua importância, no entanto, de acordo com ela, não são recentes. “Com a Covid-19, as pessoas passaram a conhecer melhor a atuação do fisioterapeuta na linha de frente, mas vale salientar que o profissional fisioterapeuta sempre esteve envolvido com os cuidados na UTI de pacientes que tiveram Acidente Vascular Cerebral ou trauma cranioencefálico, pós cirúrgicos entre outras comorbidades que precisam fazer uso de ventilação mecânica ou não, internados em UTIs ou em enfermarias”, pontua a coordenadora.

A partir de todo este cenário o mercado passou a olhar a Fisioterapia de uma maneira diferente e já é possível observar uma forte tendência de procura e um aumento da valorização do profissional. Para a professora, o momento em que Fisioterapia vive significa um marco de crescimento e reconhecimento profissional, sendo estratégico para formação na área. “O mercado de trabalho para o profissional formado é amplo, com oportunidades em diversas áreas, e motivado pelo momento atual e pelas demandas, as perspectivas para a Fisioterapia e principalmente para a área de Fisioterapia Respiratória apresentam-se em um momento de expansão, de muitas pesquisas e descobertas de novos métodos e técnicas”, finaliza.

A graduação em Fisioterapia na Unesc está com inscrições abertas para ingresso já no primeiro semestre de 2021. Os interessados em conhecer a estrutura do curso, a matriz curricular, as oportunidades de bolsas e descontos ou outras informações podem entrar em contato com a Unesc por meio dos telefones (48) 343145-00 ou (48) 99915-0433. No matriculas.unesc.net/graduacao também é possível encontrar essas e muitas outras informações sobre os cursos da Universidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui