Rolando Christian Coelho, 22/03/2024

Publicidade

 

Os seis vices de Gislaine Cunha

A exemplo de 2020, não será tarefa fácil chegar a um acordo para compor a chapa majoritária a ser encabeçada pela prefeita de Sombrio, Gislaine Dias da Cunha (MDB). Na eleição passada, um rosário de pré-candidatos se dispôs a concorrer como vice-prefeito de Gislaine, e, para 2024, o cenário começa a ter o mesmo desenho. A lista começa com o atual vice-prefeito, Jeriel Isoppo (MDB), que em 2020 acabou se tornando o candidato consensual, diante de todas as pretensões manifestadas por vários líderes políticos, filiados às mais diversas siglas. Fora dos embates eleitorais até aquele momento, Jeriel foi a solução para apaziguar os ânimos mais exaltados.

Manter a dupla Gislaine e Jeriel em 2024 exigirá muita astúcia por parte dos caciques do MDB sombriense. Isto porque, dentro do próprio partido já nasceram outras pretensões do mesmo quilate. O ex-vereador e ex-Secretário Municipal de Obras, Nego Gomes, é um dos emedebistas que já manifestou sua intenção de concorrer como candidato a vice de Gislaine Cunha neste ano. Eternamente na fila do MDB para uma composição majoritária, Nego diz que chegou a sua vez de ser lembrado.

Ainda dentro do MDB, o atual Secretário Municipal de Obras, Jonas Souza, que no início de abril voltará a ocupar sua cadeira na Câmara Municipal de Vereadores, também tem recebido apoio de correligionários para postular a vaga de vice. Seu nome é estratégico porque ele reside no bairro Januária, mesmo bairro de onde deverá emanar a principal candidatura oposicionista a Gislaine Cunha, encabeçada pelo vereador Peri Soares (PP). Como candidato a vice, Jonas seria uma espécie de agente neutralizador de Peri.

Já no PDT, partido que é aliado histórico do MDB de Sombrio, tem emanado o nome do ex-vereador Celso Rogério de Souza, o Celsinho. Ele defende a tese de que é chegada a hora dos brizolistas serem reconhecidos pelos emedebistas em uma chapa majoritária. Celsinho tem se dito preparado para o embate majoritário e diz que não abrirá mão desta composição.

Recém filiado ao PL, Clodoaldo Patrício, que disputou a Prefeitura de Sombrio pelo PRTB em 2024, é outro nome que surge como possível candidato a vice de Gislaine Cunha. A seu favor sopram os ventos do bolsonarismo, o que deixaria a chapa majoritária encabeçada pelo MDB sintonizada com o resultado das urnas 2022 no município, ocasião em que Jorginho Mello (PL), enquanto candidato ao governo, e Jair Bolsonaro (PL), enquanto candidato à Presidência, emplacaram 70% dos votos em Sombrio no segundo turno das eleições.

Por fim, o União Brasil também não esconde sua pretensão de ser vice de Gislaine Cunha, através do empresário Teco Silvério. Ele já postulou este espaço em 2020 e retomou a pretensão para este ano. De todos os partidos que postulam ser vice, o União é o que está mais próximo da oposição, o que sugere que a legenda deverá se unir ao Progressistas, caso não se encaixe em uma majoritária com a prefeita.

Finais

  • Está marcado para o próximo dia 4 de abril o julgamento, no Tribunal Superior Eleitoral, do processo de cassação do mandato do senador Jorge Seif (PL), acusado pelo PSD de abuso de poder econômico, e uso da máquina corporativa das Lojas Havan, para fins eleitorais em 2022. Pesa contra Seif o fato de o Ministério Público Federal ter se posicionado favoravelmente a sua cassação, como também o fato de vários Ministros do Supremo Tribunal Federal serem os mesmos Ministros do TSE. Em caso de cassação, os catarinenses terão que voltar às urnas para votar em um novo senador. Do time de Jorge Seif, o nome mais cotado para a nova candidata ao Senado é o da deputada federal Carolina De Toni (PL).

 

  • MDB de Turvo promoveu encontro municipal ontem à noite. A legenda, que saiu rachada do pleito municipal de 2020, demonstrou unidade no evento, com seus principais líderes prometendo coesão para enfrentar as urnas em 2024. Vários nomes do partido são cotados para disputar a Prefeitura Municipal neste ano. Da velha guarda, se ressalta o ex-prefeito Heriberto Afonso Schmidt, que já administrou o município em três ocasiões. Dos que estão na fila, a espera de uma oportunidade majoritária, se ressaltam os vereadores Afonso Casteler e Valcir José Milanez. Todavia, além destes há uma série de outros nomes emedebistas que poderão disputar o Executivo Municipal, provavelmente contra o projeto de reeleição do prefeito Sandro Cirimbelli (PP).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui