Rolando Christian Coelho, 25/03/2024

Publicidade

 

Heriberto Schmidt de olho no quatro mandato

Ex-prefeito de Turvo, Heriberto Afonso Schmidt (MDB), está mais do que empolgado para disputar as eleições municipais deste ano, visando o comando do Executivo turvense mais uma vez. O ex-prefeito já administrou a Prefeitura de Turvo em três ocasiões, entre 1989 e 1992, e entre 1997 e 2004, em dois mandatos consecutivos. Em 2020 ele concorreu como candidato a vice-prefeito, em uma chapa pura do MDB encabeçada pelo então vereador Edson Pisca Dagostin, mas o projeto acabou sendo derrotado pelo prefeito eleito Sandro Cirimbelli (PP).

Para as eleições deste ano, o MDB turvense tem fomentado a apresentação de pré-candidaturas majoritárias, por parte de quem tiver interesse em participar do processo eleitoral como candidato a prefeito. Neste sentido, vários nomes têm sido apontados como pretensos pré-candidatos ao Executivo Municipal pelo partido, mas, de longe, Heriberto é o mais empolgado com a possibilidade de disputar a prefeitura de seu município mais uma vez.

Em princípio, os caciques do MDB têm dito que estarão unidos para eleger seu candidato a prefeito, independentemente de quem seja ele. Na eleição de 2020, um dos motivos que levaram a derrota emedebista foi justamente a falta de unidade partidária, iniciada já na escolha dos candidatos que comporiam a majoritária.

A lista de nomes que estão à disposição do MDB de Turvo para disputar a prefeitura não é pequena. Além de Heriberto, também estão à disposição do partido Edson Pisca Dagostin, que atualmente é assessor do deputado estadual Tiago Zilli, os vereadores Afonso Casteler e Valcir José Milanez, assim como também são lembrados os nomes dos empresários Selvino Londero e Jocelito Darós. Heriberto Schmidt, no entanto, é o que mais tem trabalhado para viabilizar um projeto majoritário, estando, literalmente, em pré-campanha com este objetivo.

Finais

  • Ex-deputado federal Jorge Boeira, que disputou o Governo do Estado pelo PDT em 2022, está de malas prontas para retornar ao Progressistas. O objetivo é o de viabilizar sua candidatura à Prefeitura de Criciúma neste ano. Boeira, no entanto, também tem conversado com o deputado federal Ricardo Guidi (PSD), e não é descartada uma dobradinha da dupla para disputar o executivo criciumense. Guidi deverá se filiar ao PL na próxima semana para encaminhar seu projeto majoritário em Criciúma, já que não tem espaço no PSD para isto. Por ora, há o desenho de um cenário onde Ricardo Guidi concorreria a prefeito pelo PL, com Jorge Boeira compondo como seu vice pelo Progressistas.

 

  • Depois de ter se dito disposto a disputar a reeleição em Passo de Torres, prefeito Valmir Rodrigues (PP) voltou atrás e anunciou que não pretende concorrer a um novo mandato. O motivo estaria ligado ao fato do PSDB, que fazia parte da base de sua gestão, ter anunciado que também pretende ter candidato a prefeito. Com a desistência de Valmir, abre-se a possibilidade de que haja uma histórica aliança entre seu partido e o MDB, do ex-prefeito Jonas Souza. Em uma composição como esta, se ressalta o nome da atual Secretária Municipal de Educação, Karini Lummertz Colares por parte do Progressistas, e do vereador Renan Baltazar pelo MDB. A grande questão é saber quem encabeçaria a majoritária, e quem ficaria com a vaga de vice.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui