Rolando Christian Coelho | As cheias são novas, mas os problemas são velhos

Publicidade

As intensas chuvas que acometeram o Extremo Sul Catarinense nas últimas semanas, mostraram, mais uma vez, a necessidade de obras estruturantes em nossa região para mitigar os efeitos das cheias. Obras que passam pela fixação das barras do rio Araranguá e Mampituba, e também pela dragagem de ambos, assim como pela dragagem do rio da Laje, em Sombrio. Também está bastante nítido que as famílias que moram muito próximas a estes três rios precisam ser realocadas em outras áreas, de modo a não correrem mais riscos a cada cheia que nos atinge.

Diante da descrença generalizada quanto a fixação das barras do rio Araranguá e Mampituba, é necessário, no mínimo, que a dragagem destes dois rios seja posta em prática, de modo a aumentar a capacidade de retenção de água dos mesmos, evitando seus transbordamentos, como aconteceu nos últimos dias.

Outro pronto crucial é a elevação dos trechos das rodovias estaduais de nossa região que alagam a cada cheia. Especialmente na SC 447, que liga a BR 101 a Meleiro, e na SC 290, que liga a BR 101 a São João do Sul, estes alagamentos são corriqueiros. Há de se ressaltar, no entanto, que também tivemos alagamentos na SC 449, entre Sombrio e Jacinto Machado, e na SC 290, no trecho entre a BR 101 e Passo de Torres, na altura da localidade de Arraial, algo que raramente acontecia.

Os conceitos de engenharia de pontes em nossa região também precisam ser revistos pelos profissionais competentes. Não é possível que tantas cabeceiras de ponte no interior dos municípios sejam, literalmente, levadas água a baixo a cada cheia. Precisamos que nossos engenheiros pensem em como resolver este problema, afinal de contas, não raro, centenas de famílias ficam ilhadas em suas comunidades por conta da impossibilidade de usar tais pontes.

Todos estes são problemas corriqueiros, que já deveriam ter sido resolvidos há muito tempo, mas que até agora não foram. Talvez os fortíssimos desdobramentos das cheias no Rio Grande do Sul sirvam de alerta às autoridades competentes, para que as mesmas tomem as providências necessárias em nossa região.

Finais

  • Amanhã, às 19h30min, a família Borges de Balneário Arroio do Silva estará reunida, no restaurante Espetão, em Araranguá, para hipotecar apoio à pré-candidatura a prefeito do empresário Jairo Borges (PL), irmão do falecido ex-prefeito arroiosilvense Juca Borges. Em princípio, Jairo deverá concorrer à Prefeitura de Balneário Arroio do Silva tendo um emedebista como seu companheiro de chapa, mas o nome para a dobradinha ainda não está definido. Representando a oposição, Jairo irá enfrentar o projeto de reeleição do prefeito Evandro Scaini (PP), que terá como candidato a vice o vereador Vanderlei de Souza, o Lei do Mar Azul (União). Interessante observar que Scaini irá disputar pela quarta vez a prefeitura de seu município, sendo que nas outras três eleições ele foi eleito.
  • Aliança partidária em torno do projeto de reeleição do prefeito de Araranguá, César Cesa, e de seu vice, Tano Costa, contará com o MDB e o PSD, que são seus respectivos partidos, e ainda com PSDB, PDT, Republicanos e União Brasil. Atualmente, doze, dos quinze vereadores do município estão filiados a estas legendas, e, por ora, apenas Diego Pires (União) disse que não disputará a reeleição. Os demais três vereadores do legislativo araranguaense estão filiados ao Progressistas, partido que caminha a passos largos para apoiar a candidatura ao Executivo Municipal de Andresa Ribeiro, que provavelmente terá o atual presidente da Câmara Municipal, Márcio Scarsanella, o Márcio Tubinho (PP), como seu candidato a vice. O Avante deverá apoiar a dupla.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui