ROLANDO CHRISTIAN COELHO | Governo licita Faxinal pela terceira vez

Carlos Moisés da Silva é o terceiro governador do Estado a licitar a mesma obra ao longo dos últimos 15 anos

Rolando Christian Coelho, 26/08/2021

Governo licita Faxinal pela terceira vez

Governador Carlos Moisés da Silva assinou ato de licitação para a pavimentação da Serra do Faxinal, ontem à noite, em Praia Grande.

A cerimônia, realizada na sede da Associação de Funcionários da Ceprag, contou com a presença de prefeitos de toda região, além de vários deputados do Sul do Estado.

A Serra do Faxinal liga o centro de Praia Grande até a divisa com o Rio Grande do Sul, na altura do município de Cambará do Sul, e é um dos principais acessos a sede do Parque Nacional dos Aparados da Serra. Ao longo de seu percurso também estão sediadas várias pousadas, algumas de padrão internacional.

É a terceira vez que o Governo do Estado licita a obra, que tem 15 quilômetros de extensão. A primeira vez foi à época da gestão do ex-governador Luiz Henrique da Silveira (MDB). Na ocasião, uma decisão da Justiça Federal do Rio Grande do Sul suspendeu as obras, por conta de questões ambientais.

Para que ela pudesse ser retomada foi necessário uma serie de adequações no projeto de engenharia. Por conta disto, a primeira licitação ficou inviabilizada. já na gestão do ex-governador Raimundo Colombo (PSD) foi realizada uma segunda licitação. Desta vez, a empresa vencedora da licitação, a Monte Adriano, de nacionalidade portuguesa, simplesmente abandonou a obra. Embora o governo tenha conseguido rescindir o contrato com a empresa, não foram tomadas as medidas necessárias para garantir a atualização das licenças ambientais para a obra. No fim das contas, como os recursos destinados para o Faxinal eram fruto de financiamento internacional, e havia prazos para sua aplicação, o Governo do Estado decidiu alocá-los em outros projetos, fazendo com que a Serra do Faxinal voltasse a estaca zero.

Agora, o governador Carlos Moisés promove nova licitação, a terceira, visando a pavimentação da Serra. Em princípio, o projeto está totalmente enquadrado às questões ambientais e há recursos próprios para a execução.

No entanto, a licenças ambientais propriamente ditas ainda não foram emitidas, o que poderá fazer com que a ordem de serviço para a pavimentação tenha que esperar.

De acordo com o Secretário de Estado da Infraestrutura, Thiago Augusto Vieira, isto não acontecerá, pois haveria garantias dando conta que as tais licenças serão emitidas nos próximos dias.

Serra do Faxinal custarão cerca de R$ 58 milhões

O edital de licitação da Serra do Faxinal dá conta que a obra custará R$ 58,9 milhões, com prazo de execução de 21 meses, depois de dada a ordem de serviço.

A ordem de serviço, por sua vez, só pode ser dada mediante expedição das licenças ambientais que estão pendentes. Nada impede, no entanto, que processo licitatório seja levado adiante.

Através dele as empresas interessadas no certame farão suas propostas ao governo. Basicamente, comprovada capacidade técnica e documental, ganha aquela que apresentar o valor mais baixo para a realização da obra.

Processos deste quilate levam de 45 a 60 dias para ser concluídos. Se até lá as licenças ambientais estiverem expedidas, no final de outubro, ou início de novembro, a obra poderá ser iniciada.

Governador estará nesta quinta em Araranguá

Hoje é a vez de Araranguá receber a visita do governador Carlos Moisés da Silva.

A cerimônia de recepção, que estava agendada para o auditório da Aciva, às 11h, acabou sendo transferida para o auditório do Center Shopping, no mesmo horário.

O governador cumprirá protocolos administrativos, destinando recursos para a completa reforma e ampliação da Escola Estadual Neusa Ostetto Cardoso, no bairro Polícia Rodoviária, assim como para a ampliação da Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Regional de Araranguá.

Os olhares, no entanto, estão voltados para a conversa que Carlos Moisés terá, ao pé de ouvido, com o prefeito de Araranguá, César Cesa (MDB), em almoço reservado. Recursos pontuais para a gestão municipal da Cidade das Avenidas, e eleições 2022 deverão tomar conta do diálogo.

Manoel Mota é esquecido pelo protocolo do Governo

Depois de 30 anos lutando pela pavimentação da Serra do Faxinal, ex-deputado estadual Manoel Mota (MDB), que estava ontem em Praia Grande, no evento em que foi realizada a assinatura de licitação da obra, sequer chegou a ser citado pelo protocolo.

Muito menos foi convidado para aparecer na foto oficial da assinatura. Para remendar o soneto, deputado estadual José Milton Scheffer (PP) ressaltou a luta de Mota pela pavimentação da Serra, sendo endossado, depois, pelo governador. Em compensação, o que não faltou foi político alienígena querendo aparecer na foto oficial da assinatura da licitação.

Pelo menos os presentes acabaram conhecendo muito deputado que só se conhece de nome.

Progressistas creem que Boeira ficará no partido

Líderes políticos do Progressistas, com que conversei ontem à noite em Praia Grande, durante evento que culminou com ato de assinatura da licitação para pavimentação da Serra do Faxinal, dizem acreditar que ex-deputado federal Jorge Boeira permanecerá na legenda, por onde disputaria, ano que vem, a Câmara Federal.

As movimentações em torno do ex-deputado sugerem justamente o contrário, dando conta que ele deverá ir para uma outra legenda, objetivando uma disputa majoritária. Os progressistas da região, no entanto, creem que Boeira não levará um projeto majoritário por outro partido adiante pela falta de estrutura apresentada por estes.

Em princípio, os mais interessados na filiação do ex-deputado, para que ele concorra ao governo, são o Podemos e o PSB, siglas que não possuem capilaridade estadual, deixando qualquer projeto majoritário capenga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui