ROLANDO CHRISTIAN COELHO | Moisés continua sem espaço no MDB e PP

Rolando Christian Coelho, 30/08/2021

Moisés continua sem espaço no MDB e PP

Durante incursão que fez por nossa região na semana passada, ficou bastante claro que governador Carlos Moisés da Silva tem a simpatia, mas não tem o espaço que almeja dentro do MDB, nem dentro do Progressistas.

Em sua passagem, o governador foi muito mais prestigiado pelos emedebistas do que pelos progressistas, todavia, foram raríssimas as lideranças do MDB que, nos corredores, apostavam no apoio do partido a um projeto de reeleição do atual chefe de nosso Estado.

O MDB, aliás, parece cada vez mais apostar suas fichas em Antídio Lunelli, atual prefeito de Jaraguá do Sul, discípulo da linha de Luiz Henrique da Silveira, só que mais a direita. Já entre as lideranças do Progressistas, há uma espécie de incredulidade quanto a filiação do governador ao partido, tendo-se como base para esta dedução a sufocante liderança que o senador Esperidião Amin exerce sobre a sigla.

Por suas vezes, os mais próximos do governador acreditam que ele deverá se filiar a uma sigla de menor calão, na tentativa de construir um projeto autoral, que teria como base várias outras legendas de menor expressão. A ideia seria a de manter a mesma tática de 2018, com Carlos Moisés se apresentando como um candidato desvinculado da chamada velha política, só que agora com resultados para mostrar a sociedade catarinense.

O projeto é coerente por um motivo básico: o governador não conseguirá receber o apoio de um grande partido para seu projeto de reeleição.

O que os grandes querem é meramente o dinheiro do governo, não o governador. Nenhum partido grande quer ter o governo para dizer que tem o governador. Quer para mandar no governo, e com Carlos Moisés lá dentro isto não será possível.

A ideia de Carlos Moisés de ter um partido para chamar de seu, no entanto, esbarra em três questões. A primeira é que ele está começando isto muito tarde. É que não basta ter uma legenda, é preciso efetivamente ter um partido, e para isto é necessário tempo de construção.

O segundo problema do governador é sua comunicação, que é capenga. Sua gestão até hoje não conseguiu se comunicar com os catarinenses. O governador ainda acredita que as redes sociais irão resolver sua vida, o que é um erro crasso.

Por fim há a história dos respiradores, que será um tijolo de nove furos no sapato do govenador durante o período eleitoral, ano que vem. No mais, é encarar a vida e ver no que vai dar.

Agricultura e Pesca trocará de comando em Gaivota

Comando da Secretaria de Agricultura e Pesca de Balneário Gaivota mudará de mãos na quarta-feira, dia 1º.

Jedson Barbosa Lúcio, um dos principais cabos eleitorais da campanha eleitoral do então candidato a prefeito Kekinha dos Santos (PSDB), deixa o comando da pasta, a pedido, e será substituído por Bruna Nunes.

A Secretaria é uma cota do PTB do município, partido no qual são filiados tanto Jedson quanto Bruna. A mudança se dará porque Jedson decidiu voltar a atuar na iniciativa privada.

Antídio Lunelli e Celso Maldaner cada vez mais próximos

Dentro do MDB catarinense, conversações entre Antídio Lunelli e Celso Maldaner, contra os interesses de Dário Berger, estão cada vez mais profundas.

Pelo andar da carruagem, Celso deverá manifestar apoio a Antídio diante da convenção de 15 de fevereiro, que escolherá o candidato do partido que concorrerá ao Governo do Estado ano que vem.

A tendência é que Dário fique isolado, ainda que neste momento a impressão seja a de que ele está comandando o jogo. O fato é que o MDB no Norte do Estado fechará naturalmente com Antídio. O Oeste e região serrana ficarão sob a batuta de Maldaner. Já no Sul, nunca é demais lembrar dos eternos perrengues entre Eduardo Moreira e Dário Berger.

Magrão diz que não concorrerá a Assembleia ano que vem

Vereador sombriense Adriano Coelho de Jesus, o Adriano Magrão (PRTB), diz que não irá colocar seu nome a disposição para disputar a Assembleia Legislativa ano que vem.

Depois da conquista de uma cadeira no legislativo sombriense, Magrão passou a ser uma das principais referencias do PRTB regional, sigla que está garimpando um nome para lançar ao parlamento catarinense. “Estou começando agora na política, tudo é muito precoce. Melhor amadurecer mais e me dedicar a vereança”, comenta.

Lula percorre o Nordeste e já tem pacote de acertos

Ex-presidente Lula da Silva (PT) passou as últimas duas semanas em incursão pelo Nordeste.

Fez reuniões com vários partidos, dentre eles MDB, PP e PSD. De cara já recebeu apoio para 2022 do PP e do PSD da Bahia.

Isto que a conversa não durou nem meia hora com cada um. No embalo, recebeu afagos de Roseana Sarney (MDB) no Maranhão, e de Eunício Oliveira (MDB), no Ceará. Já deu para sentir que a velha guarda do Nordeste irá fechar com Lula novamente, o que provavelmente fará com que ele conquiste dois terços dos votos daquela região já no primeiro turno da eleição presidencial.

Se não mudar sua estratégia, presidente Jair Bolsonaro corre o sério risco de ficar isolado, e de sequer chegar ao segundo turno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui