ROLANDO CHRISTIAN COELHO | Democratas e PSL caminham para fusão

ACM Neto, do Democratas, e Luciano Bivar, do PSL, estão próximos de chegar a um acordo para novo partido

Rolando Christian Coelho, 09/09/2021

Democratas e PSL caminham para fusão

Cúpulas do PSL e do Democratas nacional têm conversado sobre a possibilidade de unir os dois partidos sob uma só bandeira, através da fusão das duas siglas. Isto faria com que a nova agremiação já surgisse como o maior partido do Congresso Nacional, com 81 deputados federais e sete senadores.

Atualmente o PSL tem 53 deputados federais e uma senadora. Já o Democratas tem 28 deputados federais e seis senadores.

Por mais estranho que possa parecer, o projeto tem como objetivo criar uma terceira via política no Brasil, que objetiva lançar o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), como candidato à Presidência da República.

É estranho justamente porque o PSL foi o partido que abrigou a candidatura presidencial de Jair Bolsonaro em 2018, e que agora estaria se incorporando a um outro projeto político, levando consigo parlamentares que eram, ou ainda são, aliados do Palácio do Planalto.

A fusão, no entanto, permite com que qualquer eleito pelo PSL, ou pelo Democratas, deixe seu partido de origem, sem risco de perda de mandato por infidelidade partidária. Por conta disto, é muito provável que os bolsonaristas natos, filiados ao PSL, acabem pulando fora do novo grupo que está sendo formado e se alie ao projeto do presidente Bolsonaro, que caminha a passos largos para se filiar ao Patriota.

A grande maioria dos eleitos pelo PSL em 2018, porém, deverá embarcar na fusão, caso ela de fato se concretize. É que o fundo eleitoral, somando ao fundo partidário das duas legendas, deverá despejar cerca de R$ 1 bilhão nas contas do novo partido ano que vem. Por óbvio, a maior parte do dinheiro irá para aqueles políticos que já estão eleitos e tentarão novos mandatos em 2022. Sendo assim, sair do novo grupo que está se formando, do ponto de vista financeiro, é um péssimo negócio.

Com fusão, presidente de Câmara deverá deixar PSL

Em nossa região, um dos reflexos mais imediatos da fusão entre o PSL e Democratas deverá ser a saída do atual presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Balneário Gaivota, Fernando Batista, o Fernando do Tide (PSL), de seu partido.

No início do ano ele se aliou a vereadores do Progressistas e do PSD, sendo eleito presidente do legislativo, em detrimento dos interesses do PSL local, que havia indicado voto para presidente na vereadora Maria Nunes, a Maria da Saúde (MDB). Desde então, o clima entre Fernando e o PSL ruiu.

Em princípio, confirmada a fusão, ele deverá deixar o partido e é provável que ingresse em uma sigla que fique sob seu comando. Já o PSL e o Democratas gaivotense fazem parte do mesmo grupo político, não se prospectando grandes fissuras neste momento.

Novo partido terá que entrar em consenso diante de 2022

A questão que envolve a possível fusão entre o PSL e o Democratas terá reflexos diretos em nossa região, no que diz respeito às eleições proporcionais do ano que vem.

É que, em princípio, os dois partidos pretendem lançar candidato a deputado estadual aqui pelo Extremo Sul. O PSL tem convergido para o nome do vice-prefeito de Balneário Gaivota, Jonatã Coelho, principalmente depois que outro pré-candidato, o ex-vice-prefeito de Araranguá, Rodrigo Turatti, disse que pretende disputar novamente a Assembleia Legislativa, mas não pela legenda.

Por sua vez, o Democratas também tem estreitado conversações com a advogado Ricardo Ghellere, para que ele seja candidato a deputado estadual pela legenda. Os dois projetos estão em andamento, todavia, em caso de fusão partidária, provavelmente um terá que abrir mão para o outro.

Almides da Rosa afirma que governador garantiu R$ 10 milhões

Prefeito de Santa Rosa do Sul, Almides da Rosa (PSDB), diz estar confiante na liberação de R$ 10 milhões, por parte do Governo do Estado, para que sejam asfaltados os 6,4 quilômetros restantes da rodovia municipal que liga o centro da cidade ao Instituto Federal Catarinense, a ex-Escola Agrotécnica Federal.

A rodovia tem o dobro desta distancia, mas ao longo dos anos, de trecho em trecho, ela foi sendo asfaltada com recursos do próprio município e através de convênios. O governador Carlos Moisés da Silva, no entanto, teria se comprometido a aportar o valor integral que falta para que a obra seja concluída.

Intenção do prefeito Almides é denominar a rodovia com o nome do ex-prefeito José Aquino Isoppo.

Araranguá é único município com pré-candidatos a federal

Por enquanto, em nossa região, apenas o município de Araranguá tem apresentado pré-candidaturas a deputado federal para o pleito do ano que vem.

De vários outros municípios já emanaram candidaturas prévias a deputado estadual, mas nenhuma a federal.

Os araranguaenses que, por ora, têm se disposto a um embate à Câmara Federal são o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Diego Pires (PDT), o vereador Jorginho Pereira (PP), o ex-presidente da Câmara Municipal de Vereadores Ozair Bainha da Silva (PT), e o ex-vereador Igor Batista Gomes (PL), que disputou a Prefeitura Municipal ano passado.

O economista e comunicador Alex Bristot (PSB), de Santa Rosa do Sul, está mapeado para ser candidato a deputado estadual, mas diz que poderá ser federal, dependendo da conjuntura em que estiver inserido seu partido ano que vem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui