Festa com saúde: como proteger a pele no carnaval

Publicidade

Um estudo do Instituto Nacional do Câncer (INCA) aponta cerca de 185 mil novos casos de câncer de pele por ano. O número preocupa os especialistas. A exposição prolongada e repetida ao sol pode levar a esse tipo de câncer que é o mais frequente no Brasil e no mundo, segundo o Ministério da Saúde. E, no carnaval, a pele merece uma atenção especial para não comprometer a saúde do folião. Isso porque a festa leva brasileiros e turistas para curtir blocos de rua e outros eventos que acontecem ao ar livre.

A dermatologista Fernanda Seabra dá dicas do que é essencial e o que não pode faltar na hora de pular nos bloquinhos de rua durante os dias de festejos. “Para vocês que vão passar o carnaval, principalmente na rua, curtindo os foliões, é importante se proteger contra o sol, use o protetor solar. É difícil reaplicar, principalmente quando você está nos folhões. Então, o que eu sempre sugiro para os meus pacientes é abusar dos protetores físicos. Chapéu, boné, óculos escuros, roupas leves e de manga comprida, para você realmente tentar evitar essa exposição solar direta”, orienta.

“Os pacientes homens, que geralmente são calvos, eles têm que tomar um cuidado redobrado. Então, não esqueçam do protetor físico, que é o boné e o chapéu. Isso é muito importante”, lembra a médica.

Publicidade

Fernanda Seabra lembra que, como a saúde da pele é essencial, para aproveitar a festa sem se preocupar com sequelas no corpo devido a exposição solar excessiva, os cuidados devem acontecer mesmo depois de se divertir.

“Quando chegar em casa, tomar aquele banho, que é uma aguinha mais morna. Pode usar emolientes, que são esses cremes hidratantes após o banho. O ideal mesmo é usar os hidratantes após o banho, com a pele ainda úmida. Essa é uma hora exata, é a melhor hora, na verdade, pro seu corpo, pra ele hidratar”, destaca.

Câncer de pele

A médica Fernanda Seabra reforça a importância dos cuidados com a pele, principalmente porque o exposição solar tem a capacidade de, lenta e gradualmente, causar a mutação nas células levando ao câncer de pele.

“O mais comum é o carcinoma baixo celular e o segundo mais comum é o carcinoma espino celular. Então isso aí a gente tem que ficar de olho. Então, nesse carnaval, de uma forma mais imediata, para as pessoas mais jovens, que geralmente são as pessoas que pulam mesmo e que ficam mais tempo expostas ao sol, é abusar do protetor solar e dos protetores físicos”, alerta.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), ao promover a campanha “Dezembro Laranja” — que procura alertar a população sobre a importância dos cuidados com os diferentes tipos de pele — já alertou que o tumor maligno mais incidente no Brasil é o de pele não melanoma (31,3% do total de casos). A instituição cita que, em 10 anos (entre 2013 e 2022), o Sistema Único de Saúde (SUS) fez o diagnóstico de 278.748 casos de câncer de pele no país. A população com mais de 50 anos é a mais atingida por essa doença

Atenção com a maquiagem

Repleta de cores, diversão e energia de sobra, o carnaval é uma festa esperada por muitos: desfilar na avenida, curtir blocos de rua, escolher uma boa fantasia e ainda caprichar na maquiagem. Além da exposição ao sol sem proteção adequada, o uso inadequado de produtos para pintar o rosto e o corpo pode comprometer a saúde da pele, deixando marcas indesejáveis, explica a dermatologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Jade Cury.

“Cada tipo de pele tem características individuais, então precisamos ter um cuidado reforçado. Muitas vezes, as pessoas não sabem a procedência dos produtos usados para colorir e enfeitar o corpo e o rosto. O ideal é procurar materiais específicos para pele, sejam tintas ou glitter, por exemplo. Além disso, ao chegar em casa é obrigatório a remoção da maquiagem com água e sabonete com PH neutro”, afirma a dermatologista.

A turista da República Dominicana Paloma Suazo, de 28 anos, vai passar o carnaval no Rio de Janeiro. Ela, que é médica, entende os cuidados para não danificar a pele.

“Nessa rotina eu aplico protetor solar sem cor e uma camada de protetor solar com cor que já me funciona como base de maquiagem. Eu tento sempre levar uma amostra na minha bolsa para reaplicar o protetor solar durante o dia e eu tiro a maquiagem e aplico hidratante pra dormir no rosto e na pele. E foi. Essas são as coisas que eu realmente faço no dia a dia”, explica.

Fonte: Brasil 61

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui